Foto: https://elpais.com/cultura/2013/11/26/actualidad/1385495863_105944.html

O sagrado passa pela poesia?

A poesia é nostalgia do divino e o seu objeto, impossível num mundo profano, um elo precioso com o tempo perdido. Falo, por isso, da sua inutilidade. Quem a procura, sabe que a hipótese de se encontrar o vínculo entre linguagem e sagrado está no poema.

In: GASTÃO, Ana Marques. O falar dos poetas. Lisboa: Afrontamento, 2011.

Nuno Júdice

A vida, as suas perdas e os seus ganhos, a sua
mais que perfeita imprecisão, os dias que contam
quando não se espera, o atraso na preocupação
dos teus olhos, e as nuvens que caíram
mais depressa, nessa tarde, o círculo das relações
a abrir-se para dentro e para fora
dos sentidos que nada têm a ver com círculos,
quadrados, rectângulos, nas linhas
rectas e paralelas que se cruzam com as
linhas da mão;

Um pássaro entrou numa nuvem.
Uma nuvem entrou num pássaro.
«Qual a verdade?», perguntou
o homem. «Está no pássaro? Ou
está numa nuvem?» E enquanto
o homem procurava a resposta,
o pássaro saiu da nuvem, fazendo
com que a verdade saísse do homem.

In: https://textosdepoesia.wordpress.com/category/nuno-judice/